domingo, 23 de outubro de 2011

A Leitura como Alma do Mundo

A leitura é uma seca? Ler é chato? Isso são preconceitos infundados. Há um ditado popular - muito terra-a-terra, como é hábito dos ditados - que reza que quem sabe da tenda é o tendeiro. Assim, também apenas quem lê pode dizer se ler é ou não uma seca. Eu, pessoalmente, acho que pode ser bastante molhado...há livros que até nos arrancam lágrimas! 

Em todo o caso, o problema não se fica por aqui. Estas frases-feitas acerca da leitura são totalmente infundadas, mas isso não impede que se espalhem como uma doença. Às tantas, já se torna uma moda dizer que ler é uma seca, o que acaba por fazer com que se afastem da leitura todo um universo de possíveis leitores que, apesar de até terem em si o bichinho da leitura, não se atrevem a deixá-lo florescer porque não querem sair da moda. Há que romper com preconceitos e tomar consciência do que nós próprios somos. Somos apenas uns míseros seguidores de modas? Ou somos algo mais? Terá o nosso espírito profundidade suficiente para ser diferente e aceitar a diferença, para não aderir a algo só por não ter fibra para suficiente para defender sozinho um dado ponto de vista? 

Nunca é demais lembrar que a leitura não é um fardo, é um dom. A arte de ler não é senão sublime. Acho que para que isto seja bem entendido, é forçoso tentar explicar o que é, de facto, o acto de ler. É perturbador perceber-se que algo tão belo está sempre - falsamente - associado a "coisas que não interessam". Cuidam as pessoas que a literatura é apenas manuais de instruções ou livros de escola? Para já, há livros de escola muito interessantes, mas passemos adiante. 

Na literatura, encontra-se muito mais do que um infindável obstáculo; o texto escrito é muito mais que uma prova de obstinação; a palavra escrita tem um propósito e um significado. Através de histórias e livros, percebemos tudo muito melhor, conhecemos o produto da experiência de outrem, recebendo o que há de melhor e ficando de sobreaviso para o que é pior. Nada existe no Universo que não possa ser expresso através de palavras. Não digo contido em palavras, porque há coisas que não cabem nos vocábulos que existem, apesar da sua variedade - por exemplo (ou eu assim o encaro), toda a expressão de sentimentos humanos mais elevados faz-se através de metáforas, pois não há termos onde caiba...o sentir humano ultrapassa a linguagem falada ou escrita. No entanto, esse "código" metafórico é susceptível de ser interpretado por todo aquele que já tenha passado por algo semelhante. Podemos dizer que coisas como o Universo, a vida, etc, têm uma linguagem própria - é a verdade -, mas no interior de um bom livro podemos encontrar tudo isso, quanto mais não seja, o pálido reflexo de todas essas realidades transcendentes formado pelo seu impacto em que escreve. A leitura é a alma do Mundo, tal como a alma de um ser humana, não contém tudo acerca do ser a quem pertence, mas contém de tudo um pouco...é...um dicionário.

Para terminar, um conselho: nunca desprezem os livros, eles são nossos amigos, sussurram-nos ao ouvido coisas que ninguém mais nos pode dizer de forma tão directa, coisas de uma riqueza e beleza singulares. E têm uma música própria. Cabe-nos a tarefa de a ouvirmos e de lhe prestarmos a devida atenção

Tomás Vicente nº27 11º3ª

3 comentários:

DÉBORA SADER disse...

PARABÉNS PELO BLOG! TENHO UM DE POESIAS, SE QUISER CONHECER, FICAREI MUITO FELIZ! www.deborasader.blogspot.com

Anónimo disse...

mas e que e o blog do tomas vicente?

Tomás Vicente disse...

www.palavrasasoltananet.blogspot.com